A fanfic do Mauricio de Sousa 

Esse texto foi originalmente publicado no ALMANACÃO, minha newsletter sobre quadrinhos. Se curtir essa amostra grátis, faça o favor de assinar!

A Turma da Mônica Jovem é o maior sucesso editorial do Brasil desde o seu lançamento. Nunca tinha conseguido parar pra ler uma edição inteira, pelo menos não que eu me lembre.

Uma turminha bem conectada

Aproveitei que lançaram um novo número 1 e fui ler para ver se era um REBOOT ou algo parecido. Mas não tinha nada de muito especial – as revistas da MSP pela Panini são “zeradas” sempre que completam 100 edições.

É uma prática bem difundida em gibis ao redor do mundo, pois lançamentos de coleção são ótimos para o marketing. A Marvel agora relança seus gibis sempre que muda a equipe criativa e os japoneses criam um subtítulo como “Z” ou “Saga de Hades” para novos arcos longos.

A linha de corte da Turma da Mônica é um pouco mais arbitrária, baseada apenas na numeração do gibi, mas ainda assim válida. É importante dar a chance de uma nova geração de moleques ou senhores como eu terem um ponto de entrada.

A história da edição de reestreia é a seguinte: Mônica e Cebolinha voltaram a namorar e estão num período de lua de mel. Cebolinha recebe uma noticia misteriosa, faz segredo é deixa Mônica receosa de que talvez ele esteja doente e em estado terminal.

Os jovens de hoje em dia gostam muito de tirar “selfies”!

Não vou entregar o final da história, até por fazer questão que você vá até a banca mais próxima e invista seu dinheiro no maior gênio do entretenimento brasileiro.

Pois muito que bem: depois de passar alguma raiva, cheguei à conclusão de que a Turma da Mônica Jovem é genial em toda a sua mediocridade.

O gibi parece escrito por alguém nos primeiros dias de uma puberdade que promete ser longa e dolorosa. Os diálogos são pavorosos, as situações são patéticas e os desenhos são medonhos.

E é aí que reside minha admiração pelo conceito dessa revista. Ela é milimetricamente realizada para parecer com algo que o leitor poderia fazer e publicar na internet.

A MSP fez um gabarito com tudo o que a molecada escreve e consome nessas fanfics onde rola muito shipping é aquela estética meio capa de disco de heavy metal sem ironia alguma.

Tem uma cena do Cebolinha abraçado com o Anjinho na cama, os dois cabisbaixos trocando confidências, que poderia tranquilamente ser capa do próximo disco do Evanescence.

Bring Me To Life

Os indícios de que trata-se de um algoritmo para criar empatia com o público só ficam mais fortes quando você vê o nome dos envolvidos na concepção da história e percebe que são alguns dos mais tarimbados criadores de quadrinhos do mercado.

Fazer coisa ruim é fácil, mas ser detestável de propósito é uma arte que eu admiro muito. De qualquer forma, espero que jamais seja necessário ler um gibi desses novamente.

Esse texto foi originalmente publicado no ALMANACÃO, minha newsletter sobre quadrinhos. Se curtiu essa amostra grátis, faça o favor de assinar!

Anúncios

6 comentários sobre “A fanfic do Mauricio de Sousa 

  1. Nunca tive curiosidade de ler essa versão da Turma da Mônica. A verdade, é que eu nunca li realmente Turma da Mônica, só o que qualquer normalmente pega (tirinhas pequenas em livros escolares ou uma e outra historinha). Mas, de qualquer forma, essa Turma me incomoda um pouco. Contudo, já relatos de uns 2 ou 3 leitores infanto-juvenis que começaram por aí e tão lendo coisas legais hoje em dia. Méritos, acho eu. Por fim, não acho o desenho tão pavoroso assim, mas como nunca peguei uma revistada todo, não seria capaz de opinar, as piores ilustrações são sempre aquelas que ninguém posta ahaa rs
    Ótimo texto 😉

  2. O que me incomoda na TMJ (mais do que os roteiros sub-Malhação) é a cota obrigatória de 4 ou 5 cenas em “estilo mangá” por edição (quadros de meia página ou página inteira com closes exagerados dos olhos e lábios e onomatopeias ocupando qualquer espaço vazio), que parecem existir só para justificar a revista ser em preto-e-branco em papel jornal.

    Porém acho que a TMJ tem um subproduto de qualidade: a excelente saga Chico Bento Moço, da qual sou fã incondicional. Recomendo a edição onde o Chico virou cantor sertanejo-universitário de sucesso, e também a saga (acho que em 2 edições) em que Chico e turma ficaram presos num laboratório da faculdade e foram atacados por abelhas gigantes geneticamente modificadas.

    1. Esse estilo mangá acho que nem é exclusividade da TMJ. As revistinhas normais também estão usando essas caretas há um tempo… Sobre o Chico Bento Moço, fiquei curioso com a história do cantor sertanejo universitário. Sabe qual foi o número?
      Valeu!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s